Todas as notícias

Novas funções de drones para engenharia e construção

Publicado 21.11.2023

O uso de drones marca uma nova etapa na logística de carga e Techint Engenharia e Construção, já prepara o primeiro teste para utilizar esta tecnologia no projeto DUPLICAR para Oldeval, na Argentina.

Os drones continuam introduzindo aplicativos nas já conhecidas tarefas de levantamento topográfico e fotográfico utilizadas para facilitar as tarefas de mensuração de avanço físico e reporting. Por isso, Techint E&C esta introduzindo o translado de cargas mediante drones, que ajudarão a diminuir o transporte terrestre destinado a deslocamentos menores improdutivos, melhorar o consumo de combustível, reduzir e maximizar a pegada de carbono e a exposição a riscos potenciais no trânsito de veículos.  

“Esta iniciativa é a continuação de um dos trabalhos de investigação realizados pelos estagiários dos Estados Unidos do programa Puentes de PAE que vieram trabalhar na área em Inovação durante os meses de junho e julho deste ano” explica Alejandro Aguirre, Gerente de Gestão do conhecimento e inovação.

A prova piloto de transporte por drone será realizada no projeto DUPLICAR para Oldelval em Argentina. Neste sentido, UALI, uma start up argentina (https://uali.co/es), será contratada para a compra e customização do drone e para sua posterior operação. O teste terá uma duração de um mês de voos no projeto, sendo o drone propriedade da Techint E&C. UALI tem demonstrado ser um valioso parceiro em desenvolvimentos sofisticados e possui experiência neste tipo de obras no Uruguai e em outras que não puderam ser concluídas na Argentina.

Atualmente, no mercado, existem drones comerciais com capacidade de carga de 40 kg para aplicações de fumigação até 500 kg para usos militares. Concretamente, nesta iniciativa será testado um drone de propulsão elétrica capaz de entregar 30 kg de carga a uma distância de 20 km em voo automático, com rotas inseridas previamente em um sistema de controle de voo proporcionado pelo fornecedor. A carga será transportada do armazém do projeto até um vertiporto (lugar de decolagem e pouso), localizado no traçado do duto, adaptável conforme as necessidades do projeto. Em principio, o compartimento de carga do drone será de 40x40x70 cms.

A iniciativa estará acompanhada pela equipe de Serviços Gerais e Gestão de Materiais, os quais já vislumbram os benefícios desta metodologia. Inclusive na área propuseram sua integração no aplicativo “Reserva de Materiais Online”. Neste sentido, Pablo Ceci, Gerente Corporativo de Gestão de Materiais remarca que “estamos pensando em ir adicionando dados em nosso catálogo de materiais do app para ver se os mesmos são "dronáveis” e para que o usuário possa saber se sua carga pode ser entregue através de um drone”. O beneficiário final da iniciativa é Operações, que receberá a carga em campo para realizar suas tarefas de uma forma muito mais rápida e segura.

A área de Qualidade, Saúde, Segurança e Meio Ambiente (CMASS em espanhol) também esteve envolvida nas primeiras etapas para avaliar o andamento das tarefas relacionadas com a prevenção do manejo das aeronaves denominadas “Exacoptero”. Implantou-se uma Análise Segura de Trabalho (AST), e uma Matriz de Riscos para manter os potenciais impactos. Alejandro Vaieretti, Chefe de CMASS em projetos destaca que “foram coletadas as lições aprendidas e os antecedentes sobre o momento em que se começou a trabalhar com drones nos levantamentos topográficos realizados por Engenharia”. A vinculação da plataforma de voo com dados meteorológicos ou restrições para ativar os motores, caso as portas do compartimento de carga o as do vertiporto não estejam fechadas, são apenas alguns dos benefícios trazidos pelos drones em matéria de segurança e proteção ambiental. Como qualquer drone, também está dotado de redundância de motores prevendo possíveis falhas e pontos de pouso de emergência predeterminados ao longo do voo, dentre outras medidas.

Empresas como a Walmart já estão realizando entregas nos Estados Unidos com partners de voos autônomos como . Inclusive há empresas europeias como  que têm testado drones de heavy lift em , com traslados de até 200 kg por 40 km. Como se ainda fosse pouco, empresas como  fazem entregas de comida a domicílio em diferentes países e, na Suécia, existe um  que envia DEA (desfibrilador automático) para que chegue antes da ambulância. É um caminho árduo a ser percorrido, mas é o futuro, e é inevitável.

Últimas notícias

Saiba mais