Todas as notícias

“Meu legado é formar pessoas para que a cultura preventiva continue evoluindo”

Publicado 7.12.2023

A poucos dias de se aposentar, Omar Campos revê sua carreira na Techint Engenharia e Construção, compartilha seu legado e transmite seu compromisso inabalável com a companhia para a qual trabalhou por mais de 15 anos.

 

Com mais de 15 anos de carreira na Techint E&C, Omar Campos, Auditor da Direção Corporativa de Qualidade, Meio Ambiente, Segurança e Saúde (CMASS), decidiu dar um passo ao lado para “deixar espaço aos mais jovens”. 31 de outubro será seu último dia como funcionário. No entanto, ele acredita que continuará ligado de alguma forma a esta empresa que deixou profundas marcas nele.

“Estou convencido de que os ciclos se fecham. Devemos deixar espaço para os demais porque é importante que os jovens possam assumir maiores responsabilidades. Sempre preguei isso e tenho que ser coerente comigo mesmo. Deixo este lugar para que outros o ocupem”, afirma Omar, emocionado.

Sua história na companhia começou em 1° de julho de 2008, após ter trabalhado 22 anos na Dupont, onde se desempenhou nas áreas de manutenção, engenharia e segurança, meio ambiente e saúde. Durante grande parte de sua trajetória na DuPont, foi técnico mecânico, mas sem ter buscado, teve a possibilidade de uma entrevista para entrar na Techint E&C e terminou decidindo se distanciar desse mundo que tanto conhecia para enfrentar o desafio de trocar de indústria.

“Quando fui admitido na Techint, pensei que já sabia quase tudo em matéria de prevenção. Depois de estar um dia, me dei conta de que precisava aprender muito mais. Tive que tomar um banho de humildade e começar, não da estaca zero, mas entendendo bem como funcionava o Sistema Integrado de Gestão (SIG) da companhia”, confessa e sua mente o transporta para sua primeira auditoria em Campana.

O que um auditor faz?

Como grande docente e antes de se despedir, Omar define com simples palavras em que consistem as auditorias e qual é o papel do auditor.

“As tradicionais, habitualmente chamadas ‘de primeira parte’, são auditorias internas. Lá, um profissional contrasta a realidade dos projetos com um parâmetro – que para nós é o SIG e o complementa com as normas ISO, adotadas por nós. Nesse caso, o auditor interno verifica se foi cumprido o que disseram que iria ser feito e se avalia baseado nisso”, explica.  

Techint E&C passou de uma auditoria tradicional a um sistema evoluído. Omar dá mais detalhes: “Além de fazer as auditorias clássicas, realizamos outras atividades como, por exemplo, capacitamos os supervisores, nos reunimos com o cliente, trabalhamos com nossos profissionais de CMASS, vamos ao campo e verificamos outra documentação adicional”.

E acrescenta: “Através dos cursos de capacitação ministrados por nós, foram capacitados mais de 350 auditores que estão em condições de auditar outros projetos com o mesmo critério e isso é feito para homogeneizar, para que todos nós possamos ver, com nossas diferenças, a mesma coisa”.

Nunca é tarde para estudar

Por diversas circunstâncias pessoais, Omar abandonou por um tempo a carreira de Engenheiro Mecânico, uma “dívida pendente” que conseguiu saldar mais adiante. “Em um determinado  momento, tomei firmemente uma decisão.  Em dois anos terminei a carreira e aos 44 anos me formei na UTN de Avellaneda. Estou orgulhoso, porque nada foi fácil para mim. Estudar uma carreira universitária estando casado, com duas filhas pequenas e viajando a trabalho foi bastante árduo, mas eu consegui. Estou muito feliz com esta profissão”, conta Omar, que logo fez uma pós-graduação em Gestão Ambiental e outra em Higiene e Segurança.

 

O legado

Desde que entrou na empresa, Omar realizou mais de 400 auditorias e capacitações para 140 projetos. Viajou a 19 países, em quatro continentes. Ele conheceu os Emirados Árabes, Egito, Trinidade e Tobago, El Salvador, Costa Rica, México e diversos países da América do Sul, acompanhado por mais de 100 colaboradores da equipe CMASS e de outras áreas.

“A formação é fundamental. Meu legado é formar pessoas para que a cultura preventiva evolua e acho que conseguimos isso. Além disso, a rigorosidade mediante a qual tudo é feito, o respeito e o bom clima no trabalho são essenciais”, assinala Omar.

Provavelmente, não haja nem um só diretor ou Project Manager a quem Omar não tenha auditado, incluso Oscar Scarpari, atual CEO da Techint E&C, durante sua época em Toromocho (Peru). “Conheço todo mundo e todos eles me conhecem. Às vezes, o apoio ao papel do auditor não é tão esperado. Mas, no meu caso, é bem ao contrário, nos projetos minha função é bem aceita, e sempre senti que todos me abriam as portas. Minha obrigação como auditor tem sido potencializar uma melhora contínua e ser rigoroso no cumprimento do SIG, porque a função de CMASS é chave para evitar os acidentes e isso é nossa obrigação assegurar”, indica.

Na hora de fazer o encerramento de uma auditoria, Omar explica que ele começa destacando o que está bem no projeto e depois aborda as áreas de melhora com nos parâmetros estabelecidos pelo SIG, classificando os achados conforme seu senso crítico.   

“Me envolvo muito com os supervisores, pois são eles que elaboram os projetos. Quando visito alguma obra peço que me dediquem uma hora para falar sobre o Valor da Prevenção, como podemos melhorar, como aprofundar o papel dos líderes. Acredito que a maior contribuição que posso fazer é procurar sensibilizar esses pontos e, é claro, realizar a auditoria”, afirma Omar.

 

Os valores como estandarte

O Compromisso com CMASS, a ética, a transparência e o profissionalismo, o desenvolvimento das pessoas, o respeito às comunidades e ser previsíveis com os Valores da companhia, são todos quesitos com os quais Omar se identifica plenamente.

“Uma questão até elementar dos direitos das pessoas é que todo acidente pode e deve ser evitado. Ninguém vem aqui para sofrer um acidente, por isso temos que trabalhar em um ambiente seguro e melhorá-lo cada vez mais para os demais. Acho que esse é o segredo”, afirma.

“Nossa meta é zero acidente, zero desvio, e não é uma utopia, porque trabalhamos para isso. A questão é essa, pensar que a gente pode alcançar o horizonte e que estamos caminhando em direção a ele”.

“Acho que as pessoas valorizam o respeito que tenho por elas e o que faço é com vontade de melhorar, e que também faço parte do problema e da solução. Isso é o que mais me enche de orgulho”, comenta Omar emocionado.

Um até logo

Descer do trem em uma estação não significa ficar ali definitivamente. Omar pretende continuar trabalhando. “Me sinto muito bem e acho que ainda tenho muito para dar. Sinto também que é preciso deixar os jovens crescerem e a verdade é que eles deveriam fazer o trabalho melhor do que eu. Este caminho da prevenção é circular, por isso, certamente, voltarei a subir neste trem da Techint a partir de outro lugar”, esclarece.

“A gente também é aquilo que os demais nos ajudam a ser. Muitas pessoas me ajudaram a ser quem hoje eu sou e devemos agradecer a essas pessoas em vida. Sempre resgato a importância da equipe, acima das conquistas pessoais. Sou uma pessoa a mais, o fato de ser o auditor é meramente uma circunstância. Acho que com esta forma de trabalho implantamos um padrão que deve ser mantido e superado, com o intuito da melhora contínua. Somos Techint e esse senso de identidade deve nos identificar”, conclui.

Últimas notícias

Saiba mais